• Dom 01 Maio 2016

    Marlene Monteiro Freitas em dose dupla no Festival DDD

    A coreógrafa e bailarina cabo-verdiana Marlene Monteiro Freitas marca presença no Festival DDD — Dias da Dança, com a apresentação de dois espetáculos: “Jaguar” e “De Marfim e Carne – As Estátuas Também Sofrem”, nos dias 5 e 6 de maio, no Cine-Teatro Constantino Nery e no Teatro Campo Alegre.


    “Jaguar”, a mais recente criação de Marlene Monteiro Freitas, desenvolvida com a colaboração do bailarino alemão Andreas Merk, é, segundo a coreógrafa, um excerto, uma cena de caça ou, ainda, uma cena de caça assombrada. O espetáculo é apresentado na próxima quinta-feira, 5 de maio, às 21h30, no Cine-Teatro Constantino Nery, em Matosinhos.


    Estreado em 2014, o espetáculo “De Marfim e Carne – As Estátuas Também Sofrem” é descrito como um baile em que participam os petrificados, os rígidos, os duplos, os reflexos e os infiltrados. É apresentado pela primeira vez no Porto, na sexta-feira, 6 de maio, às 21h30, no Auditório do Teatro Campo Alegre.


    A obra de Marlene Monteiro Freitas tem como denominador comum a abertura, a impureza e a intensidade, através da sua linguagem radical e intransigente, na qual a liberdade e a riqueza da imaginação se combinam com uma execução rigorosa e precisa.


    Marlene Monteiro Freitas estudou dança na P.A.R.T.S., em Bruxelas, na Escola Superior de Dança e na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. Trabalhou, ao longo da sua carreira, com Emmanuelle Huynn, Loic Touzé, Tânia Carvalho, Boris Charmatz, entre outros e é cofundadora da estrutura de produção P.OR.K., sediada em Lisboa.


    Fotografia © Uupi Tirronen, Zodiac - Center for New Dance