• Ter 02 Maio 2017

    DDD OUT: QUANDO A DANÇA SAI À RUA

    O Festival DDD – Dias Da Dança não se confina apenas a quatro paredes - por isso, a partir de dia 5 de maio, a dança sai à rua.


    O DDD OUT, dança em espaço público, parte do projeto “Corpo + Cidade”, criado pelo Balleteatro, em 2013. A iniciativa tem como conceito a reinvenção da cidade, possibilitando novas experiências urbanas que cruzam dança contemporânea, urbana e performance.

    Na cidade do Porto, a dança ao ar livre começa com a estreia da nova criação de Pedro Prazeres, no Jardim de São Lázaro. Dia 5 de maio há “Talking Lázaro” em dose dupla, às 13h e às 16h, e dia 6, às 16h. Este trabalho é uma visita guiada pelos elementos e auto-coreografias do próprio Jardim. No dia 13, a dança na cidade desloca-se até à Biblioteca Pública Municipal do Porto para, às 15h00, assistir à estreia do trabalho de Flávio Rodrigues. “Efígie / Chorus Landscape”, uma performance sonora com envolvimento colaborativo de cerca de 40 pessoas. Já na Praça D.João I, às 17h00, Max Oliveira apresenta "M&M (Música e Movimento)”.


    Em Matosinhos, o DDD Out começa sexta-feira, dia 12 de maio, às 15h00, com a estreia de “A Lagardère”, de Isabel Barros e Vítor Rua, na Casa do Design. No dia seguinte, sábado, dia 13 de maio, Flávio Rodrigues apresenta uma récita de “Efígie / Chorus Landscape”, às 19h00, na Biblioteca Municipal Florbela Espanca.


    A dança também percorre os espaços públicos de Gaia. Dia 6 de maio, o Convento Corpus Christi recebe “Ceci n’est pas un film – Dueto para Maçã e Ovo”, de Paulo Ribeiro. Neste trabalho, o coreógrafo promete não ilustrar um filme, mas sim dialogar com imagens. O Corpus Christi volta a abrir as portas ao DDD, desta feita para a estreia de “Mute”, de Marta Cerqueira. Este espetáculo estabelece uma relação direta entre a música que entra pelos ouvidos da bailarina e a reação que o seu corpo manifesto.


    O DDD OUT apresenta propostas gratuitas a todos os que querem ver as cidades ao ritmo da dança.